sexta-feira, outubro 13, 2006

Chocadeira - Lucília Rosa da Silva Antunes

Bem... contigo não vou perder muito tempo... aliás menos do que o que tu me dedicás-te a mim a vida toda!
Bem... além de CABRA e PUTA... poderia passar aqui o dia te enaltecendo... mas não... não mereces.
Para quem não sabe esta senhora desprezou e deu todos os filhos...
Eu era a mais velha, ela tinha apenas 14 anos quando nasci e a cabecinha... não era nada... ainda hoje axo que ela não bate com o baralho todo...
Poderia contar pelos dedos das mãos as vezes quem me cruzei com ela, mas felizmente nem isso eu tenho em mente.
Lembro-me de me dizerem que era uma valente porca!!! Na verdadeira razão da palavra, o meu pai ía trabalhar e ela fechava-me em casa e ía aos gajos!
Nem sei como estou aqui hoje para relatar isto... porque sobreviver foi trabalho difícil, pelo que me contam... chegaram a encontrar-me no alto de uma escada a gatinhar pronta para lançamento livre... mas enfim do mal o menos.
Quando o meu pai descobriu as antenas... levou-me para fora de casa... e ela... nuncaaaaaa mais me procurou... nem mais um Parabéns... nem um feliz natal...
Depois de mim teve mais 6 filhos... filhos que desprezou... maltratou, e deu!!! Andavam sempre sujos e com fome... chegaram a ir por 2 ou 3 vezes a casa da minha tia onde eu vivia, e era a minha prima que lhes lavava a carita sujinha e lhes matava a fominha, e eu nessa altura olhava para eles coitadinhos, orgulhosa porque não estava estava sozinha no mundo... mas nem imaginava pelo que eles coitadinhos passavam...
Depois soube que teve mais 3 filhos negritos dum outro homem, e a esses não abandonou... vivem com ela e com o q ela está hoje, espero que essas crianças nunca descubram a merda de mãe que têm.
Lembro um episódio... que ainda hoje me enoja quando recordo... teria +- 10 anops creio e encontrei-a no dia da Mãe ( há coisas!!!), eu levava uma prenda à minha madrinha... nada de especial, apenas uma chavenazinha cheia de rocócós como as avós gostavam antigamente... ( tinha sido a minha avó a comprar) e ía com a minha avó a casa da minha madrinha, encontrámo-nos todas na rua, e a minha avó... cheia de principios abrigou-me a entregar aquele pequeno tesouro nas mão daquela miserável... axo q as minhas unhas só largaram no ultimo momento e para não ter de tocar naquele bixo... e o pior... veio depois quando aquele montro olha para mim e diz “ Gostava tanto que os meus filhos me chamassem de mãe....”
Só não me ri porque estava com vontade de chorar, e da minha boca não ouviu nem um grunhido!!! Nem nunca vai ouvir PORRA NENHUMA!!!!
A ti valente Cabra – QUE ARDAS NO INFERNO!!!!
 
posted by Peste at 11:48 da manhã, |

0 Pestinhas: